Como surgiu o mmj

Movimento Mulheres e Mães Jardineiras (MMJ) nasceu como resposta aos desafios enfrentados em 2020 e 2021. Com o intuito de fortalecer mulheres e mães em situação vulnerável, o MMJ se dedica a promover o uso terapêutico da maconha e a buscar políticas públicas adequadas nesse sentido.

heroHeaderImgAbout

Nossa História

aboutImage1

O Movimento MMJ busca disseminar informações valiosas, oferecer cursos e certificados para embasar e respaldar pedidos de habeas corpus relacionados ao uso medicinal da planta, visando proporcionar dignidade e uma melhora na qualidade de vida para essas mulheres e famílias, bem como conscientizar a sociedade sobre os benefícios da Cannabis Medicinal.

Em parceria com o Padre Ticão, um dos maiores ativistas de saúde integral da América Latina e defensor da Cannabis Medicinal, e Elisaldo Luiz de Araújo Carlini, médico, psicofarmacólogo, professor universitário e pesquisador brasileiro, considerado referência mundial e um dos pioneiros nos estudos farmacológicos sobre o potencial terapêutico da Cannabis e de outras substâncias psicotrópicas, Mulheres e Mães Jardineiras se destaca como um importante movimento social apoiado pela Sociedade Brasileira de Estudos da Cannabis (SBEC). Seu objetivo principal é fornecer empoderamento às mulheres e mães vulneráveis que buscam o uso terapêutico da maconha para si e para seus entes queridos.

Além disso, o Movimento MMJ desempenha um papel fundamental na conscientização sobre os benefícios da Cannabis Medicinal, desmistificando preconceitos e enfrentando os obstáculos legais e sociais que envolvem essa questão. Nesse contexto, busca não apenas promover o acesso à informação e capacitação, mas também se engajar na defesa da legalização da maconha e na criação de políticas públicas adequadas à realidade do país.

O Movimento visa combater as desigualdades sociais e os impactos da proibição da maconha, especialmente para mulheres e mães que enfrentam dificuldades diárias. Ao fornecer suporte e orientação, procura garantir que essas mulheres tenham as ferramentas necessárias para buscar alternativas terapêuticas e melhorar sua qualidade de vida.

Em suma, o Movimento Mulheres e Mães Jardineiras é uma iniciativa que surge diante dos desafios enfrentados nos últimos anos, com o objetivo de empoderar mulheres e mães vulneráveis por meio do uso terapêutico da maconha.

aboutImage2

A informação e a ciência na luta para a legalização da qualidade de vida

Dra. Bianca Uequed, advogada do Movimento Mulheres e Mães Jardineiras fazendo a sua sustentação oral no julgamento do RHC174.169 SP no Superior Tribunal de Justiça (STJ), que autorizou o cultivo de Cannabis sativa L. para fins medicinais.

Nossa Equipe

─── Diretora e Idealizadora

Eliane Nunes

  • CRM/SP: 61.456
  • Especialista em Psiquiatria
  • Mestre em Ciências
  • Doutora em Ciências
  • Especialista em Psicanálise Infantil
  • Especialista em Dependência Química
  • Prescritora de Cannabis Medicinal
  • Criadora do Fórum Municipal na Câmara de São Paulo sobre o tema Cannabis Medicinal
─── Coordenadora Jurídica

Bianca Uequed 

  • Advogada
  • Coordenadora do CT Jurídico da SBEC
  • Coordenadora-jurídica do Projeto MMJ
  • Especialista em Cannabis Medicinal
  • Especialista em Direito Constitucional.
─── Secretária do projeto

Thiély Baumhardt 

  • Secretária do Projeto MMJ
  • Técnica em Radiologia
  • Graduanda em Processos Gerenciais
  • Produtora de artesanatos, sublimação, estamparia e serigrafia
  • Possui experiência de 10 anos assessorando Advogados, em escritórios e na Sede da OAB.
─── Eng. Agrônomo

Robert Gandra

  • Técnico em Eletrotécnica e Automação Industrial pelo CEFET-MG
  • Eng. Agrônomo, Agroecólogo e mestrando no Programa de Pós-Graduação em Entomologia pela UFV
  • Voluntário no Movimento MMJ na elaboração de pareceres agronômicos e desenvolvimento de conteúdo e projetos de manejo no cultivo de Cannabis sativa
  • Associado da SBEC
─── Eng. Agrônomo

Janice Isabella Honório

  • Eng. Agrônoma e licenciada em Ciências Agrárias pela ESALQ USP
  • Pós graduanda em Cannabis Medicinal pela Unyleya
  • Voluntária no Projeto MMJ na elaboração de pareceres agronômicos e desenvolvimento de conteúdo e projetos de manejo de cultivo de Cannabis sativa
─── Madrinha

Angela Aboin

  • Mãe atípica
  • Cultivadora
  • Conselheira do Direito da Pessoa com Deficiência e CAPSi
─── Coordenadora

Alany Rodrigues Fonseca

  • Analista de marketing.
  • Supervisora e treinadora na empresa XF7 Agência.
  • Formada pela Universidade Estácio.
  • Suporte e Acolhimento no Projeto Mulheres e Mães Jardineiras.

Fale conosco

Para entrar em contato, apoiar com doações, enviar suas ideias ou apoio para um projeto de pesquisa, preencha o formulário ou envie um email para [email protected]:

contactImg

Envie sua mensagem

15 + 15 =